Palmas-TO, 25 de novembro de 2020

WebMail

Pesquisadores da UFT iniciam mapeamento da assistência à saúde em regiões do Tocantins, Pará e Maranhão

Atualizado em: 12/11/2020 17h35

Municípios do Tocantins, Pará e Maranhão estão recebendo desde o início deste mês, pesquisadores do Projeto Central QualiTOPAMA - Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde, Fortalecimento e Organização da Rede de Saúde Interfederativa (Rede TOPAMA). O projeto tem como objetivo criar uma ferramenta de tecnologia que irá oferecer uma base de dados para referenciar ações de vigilância em saúde e fortalecer a organização da rede de saúde nessas localidades. É desenvolvido pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com o Ministério da Saúde, Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) secretarias de Saúde de estado e municípios.

A proposta inicial é criar uma base de dados sobre os setores municipais de vigilância em saúde das prefeituras, inicialmente em 30 cidades distribuídas nos três estados. De acordo com o coordenador geral do projeto, professor Dr. Paulo Fernando de Melo Martins, a ideia é fortalecer a regionalização da saúde e a organização da rede no Tocantins, Pará e Maranhão (TOPAMA). “O trabalho que vamos desenvolver nestes estados vai colaborar com a integração entre as ações e serviços de saúde na região e coordenar ações do Sistema Único de Saúde (SUS), além de criar uma central de informações de saúde dessas populações”, observa.

Martins explica ainda que a Central QualiTOPAMA preencherá uma lacuna ao fornecer dados de maior abrangência acerca das ações em saúde na região ao SUS. “Nossa meta é desenvolver uma ferramenta que irá fornecer ao gestor municipal dados epidemiológicos e sanitários da região de forma instantânea e real. Com as informações, o poder público terá condições de avaliar e oferecer uma maior consistência na formulação de políticas públicas, inclusive na própria transferência de recursos para os municípios da região Topama”, conta.

Projeto piloto irá atender 30 municípios
Ao todo, a Rede TOPAMA envolve 110 municípios que tem como polos as cidades de Araguaína (TO), Marabá (PA) e Imperatriz (MA), escolhidas por concentrar o maior número de atendimentos em saúde. O projeto poderá ser estendido às demais cidades da Rede de Saúde Interfederativa do Bico do Papagaio a partir do sucesso das ações.

A região formada pela área fronteiriça dos três estados foi determinada por apresentar baixa cobertura territorial pelo programa Estratégia de Saúde da Família, além de baixos indicadores de escoamento sanitário e coleta de lixo. Outro fator decisivo para a definição da região foram os índices da saúde materno-infantil que, nos municípios, é agravada pelos altos índices de partos cesáreos e baixa cobertura de acompanhamento pré-natal.

No Tocantins, os primeiros a receber as ações Projeto Central QualiTopama são: Ananás, Angico, Aragominas, Araguaína, Araguanã, Araguatins, Augustinópolis, Carmolândia, Darcinópolis, Luzinópolis, Piraquê, Santa Fé do Araguaia, Tocantinópolis e Wanderlândia. No Pará serão os municípios de: Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Dom Eliseu, Itupiranga, Marabá, Rondon do Pará e são Domingos do Araguaia. E, por fim, no Maranhão: Açailândia, Amarante, Campestre do Maranhão, Davinópolis, Estreito, Imperatriz, Itinga do Maranhão, João Lisboa e Porto Franco. (Texto: Assessoria de Comunicação do Projeto Qualitopama)