Palmas-TO, 26 de novembro de 2020

WebMail

Diretor da Fapto destaca inovação para a formação de professores de estudantes autistas

Atualizado em: 06/06/2020 18h20

O diretor executivo da Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto), Léo Araújo, foi um dos convidados a participar da aula inaugural nesta sexta-feira, 5, do Curso de Pós-graduação Lato Sensu em Transtorno do Espectro Autista (TEA) no âmbito das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC). O evento foi realizado por meio de videoconferência.

Em sua fala de boas vindas aos alunos da especialização, Léo Araújo destacou a iniciativa da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em ofertar a especialização voltada aos profissionais que atuam na educação especial. “A Fapto reforça o seu papel social sendo parceira na implementação deste projeto que irá oferecer formação de professores para estudantes autistas e outras especialidades. Sabemos que a inclusão de alunos com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) nas escolas de ensino regular requer a superação de vários desafios, dentre os quais a preparação dos docentes, já que o processo de inclusão não se limita à mera matrícula do aluno na escola regular”, observou.

Representantes de associações voltadas para o autismo, a vice-reitora da UFT, Ana Lúcia Medeiros, o senador Eduardo Gomes, que tornou o projeto possível através de emenda parlamentar e a secretária estadual de Educação, Adriana Aguiar, também participaram da aula inaugural.

Em sua fala o senador Eduardo Gomes destacou a sua satisfação em fazer parte desta conquista inédita para a Universidade Federal do Tocantins. “Fico muito emocionado e agradecido a Deus por participar desse projeto que envolve tantas pessoas. Esse é o primeiro passo para um sistema estruturado para que os professores possam dar uma assistência maior para os estudantes com Transtorno do Espectro Autista. Tudo que é inédito, corajoso e inovador merece o nosso apoio”, comentou.

Durante a aula inaugural, a secretária da Educação do Estado, Adriana Aguiar, ressaltou a importância da proposta para a inserção dos estudantes autistas na sociedade. “Hoje, temos 359 estudantes diagnosticados com autismo, atendidos em 108 unidades de ensino da nossa rede. E essa é uma oportunidade para capacitarmos os nossos profissionais. Entendo que a educação é a porta mais importante para a construção da cidadania. Temos cerca de 50 profissionais inscritos no curso, ou seja, profissionais que trabalharão de forma estratégica com os nossos jovens”, destacou.

O coordenador geral do curso TEA-TDIC, George França, destacou o processo de criação do curso. “Esse projeto representa a realização de um sonho para nós e fortalece as estratégias com a educação especial em nosso Estado e, consequentemente, em todo o Brasil. Esse curso nasceu de um projeto que discutimos amplamente e contamos com diversos parceiros, assim como fizemos contato com professores de outras instituições para compor o nosso grupo de professores para ministrar esse tema tão importante”, frisou.

A formação
A especialização visa à formação de professores de escolas públicas da rede estadual de ensino que atuam no atendimento a crianças da educação especial. Neste primeiro curso, participam da formação 50 professores que foram selecionados por meio de edital. O curso, cuja carga horária é de 360 horas, vai abordar amplamente conceitos e fundamentos, o diagnóstico do autismo, os elementos da psicologia e da saúde, e também vai tratar da questão das tecnologias enquanto instrumentos mediadores do processo ensino-aprendizagem.

Além da pós-graduação lato sensu, o projeto TEA-TIDIC prevê ainda um curso na modalidade stricto sensu, a realização de ciclos de palestras em municípios tocantinenses, uma cartilha informativa sobre o TEA, um livro e um vídeo-book. Com a pandemia do Coronavírus, para suprir as necessidades do projeto, também foram introduzidas lives semanalmente ou a cada 15 dias sobre a temática, com a participação de professores, pesquisadores e convidados. Desde o dia 2 de abril, quando começaram a ser transmitidas, já foram realizadas oito lives.

O Projeto TEA-TDIC é desenvolvido sob a coordenação geral do professor doutor George França, e coordenação adjunta da professora doutora Kátia Rose Pinho. (com informações de Maju Cotrim)