Palmas-TO, 22 de maio de 2024

WebMail

Projeto vai viabilizar apoio técnico e especializado aos pequenos produtores rurais da região de Palmas

Atualizado em: 10/01/2024 16h23

Viabilizar e potencializar a capacidade produtiva de criação de aves e hortaliças para pequenos produtores da Capital e cidades em seu entorno é a meta da segunda etapa do Projeto “Galpão para manejo de aves” desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Palmas, em parceria com a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto).

Seguindo em 2024 para a segunda etapa, a proposta agora é implementar as técnicas de manejo e cultivo, com suporte técnico para famílias que trabalham neste ramo de mercado. Vale lembrar que na primeira etapa do projeto, foi feita a construção da unidade modelo que está localizada no campus da universidade. Com a unidade demonstrativa, a coordenação do projeto poderá atender de forma prática os interessados em conhecer técnicas atualizadas para melhorar suas produções.

De acordo com o último censo do IBGE, cerca de 1.200 famílias atuam como produtores rurais nesta região. E para atender parte deste número de pessoas, a coordenação fará um chamamento público e na sequência será feita uma seleção tendo como base critérios socioeconômicos. “Dezenas de famílias serão selecionadas e contempladas com as instruções e acompanhamento técnico ao longo da vigência do projeto”, conta o coordenador e professor da UFT, Dr Bruno Carrilho.

Bruno Carrilho explica que a assistência inclui a visitação dos técnicos nas propriedades, e dos produtores na Unidade Modelo. “Durante a visita à propriedade será feita uma triagem, para observar a aptidão econômica da propriedade e a possibilidade de ampliação ou seja quais materiais e principais tecnologias construtivas são mais adequadas para aquela família atendida”, cita.

Além disso, cada propriedade receberá um projeto personalizado para a sua demanda. Para esta etapa, o projeto contará com apoio de universitários e estagiários de várias áreas de atuação.

Depois da entrega do projeto, a equipe fará o acompanhamento da execução, dará instruções e orientações sobre a criação e cultivo e suporte no desenvolvimento de algumas matrizes. “A ideia é contribuir para que a produção tenha uma viabilidade econômica. A intenção é também ajudar nos financiamentos, nos casos que houver necessidade, pois somos parceiros de alguns órgãos de financiamento, tanto estaduais, quanto federais”, lembra o coordenador.

Dentro da programação do projeto, ainda terá a elaboração do manual técnico para cada tipo de cultivo e manejo. “O manual será mais suporte para que o produtor possa consultar. A intenção é que ele seja publicado pela editora da UFT e fique como um produto resultante desse projeto”, lembrou Carrilho.

“A proposta de todo trabalho é melhorar a oferta de alimentos aqui na na cidade de Palmas, pois a maioria dos alimentos que são comercializados especialmente nos supermercados vem de fora, e geralmente tem pouca vida de prateleira como por exemplo as hortaliças, verduras, legumes e também temos pouca oferta de alimentos de proteínas produzidos aqui, como o próprio peixe, as aves. Portanto é importante regionalizar essa produção e consequentemente melhorar a qualidade de vida e de renda às famílias que produzem na Capital”, completou o coordenador.