Palmas-TO, 22 de maio de 2024

WebMail

Especialista em Inteligência artificial estimula o Tocantins a investir em inovação e tecnologia nos serviços

Atualizado em: 13/09/2023 10h56

Com a vinda do especialista em inteligência artificial, professor Dr Anderson Soares, para Palmas no ínicio desta semana, uma série de visitas as instituições públicas foram promovidas a fim de apresentar o trabalho que é desenvolvido pelo Centro de Excelência em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás, (Ceia-UFG), onde o visitante é coordenador científico.

O interesse em ouvir as experiências do especialista aconteceu depois da palestra que ele ministrou para vários pesquisadores na Universidade Federal do Tocantins (UFT), na última segunda-feira, 11. Desde então, o professor Anderson Soares, já se reuniu com a equipe de gestão de vários órgão do Governo do Estado, Tribunal de Contas, Tribunal de Justiça do Tocantins, entre outras instituições de ensino superior.

Durante os encontros, Anderson apresentou o trabalho que é feito no Ceia-UFG e detalhou como funciona as parcerias com empresas e instituições públicas e privadas que possibilitaram uma série de vantagens na implementação de projetos de pesquisas. Para o especialista, no Tocantins o trabalho feito em Goiás pode ser replicado no Tocantins. “Com o grande potencial que o estado do Tocantins tem, pela logística em relação a sua localização, vale estudar a possibilidade da implantação de um Centro aqui, para contribuir principalmente na formação de mão de obra na área de tecnologia inovação, pensando já no desenvolvimento de serviços com o uso da inteligência artificial. Acredito que melhoraria bastante a qualidade dos serviços públicos prestados pelos entes do Governo”, citou sugerindo que as instituições se organizem para ajustar as parcerias com as universidades.

Para o diretor-geral da Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto), Léo Araújo, que acompanhou de perto todos os encontros, o bate-papo e a forma que foram conduzidas as reuniões, despertou bastante interesse das instituições visitadas. “Acho que avançamos e abrimos novas portas como as orientações e dicas que o professor Anderson trouxe ao Tocantins. A Fapto e um grupo importante de pesquisadores do Estado já estão se mobilizando para implementar algumas ações, por meio de um grupo de trabalho, visando colocar em prática pontos que poderão ajudar na implantação deste trabalho no Tocantins”, revelou o diretor.