Palmas-TO, 03 de março de 2024

WebMail

Especialista aborda os caminhos para elaborar projetos com prospecção de recursos e financiamentos

Atualizado em: 27/06/2023 09h16

Existem vários aspectos que podem valorizar um projeto e aumentar sua competitividade em relação a editais e linhas de financiamento. E para facilitar o caminho para muitos pesquisadores que atuam no estado, a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) convidou o especialista em estratégia, inovação e marketing, Djalma Petit para ministrar durante dois dias o curso sobre “Como elaborar projetos para captar recursos. A abertura do evento aconteceu na tarde desta última segunda-feira, 26, e segue até final da tarde desta terça-feira, 27, no auditório do Conselhos na Universidade Federal do Tocantins (UFT), em Palmas.

O diretor-geral da Fapto, Léo Araújo, falou sobre a relevância do momento, destacando que o curso faz parte da programação dos 19 anos de criação da Fundação. “Queremos ampliar o potencial que os nossos pesquisadores têm, ajudando-os a identificar as lacunas que possam existir, apresentar e propor soluções inovadoras para auxiliar na efetividade de um projeto de pesquisa e extensão, pois sabemos que projetos que apresentam boas abordagens e viabilidade têm mais chances de mobilizar recursos e se destacar”, pontuou o gestor agradecendo a participação de todos.

Djalma Petit abriu as atividades do curso, abordando as novas ideias para a área de pesquisa, avanços científicos, viabilidade e exequibilidade de um projeto. “Um projeto bem elaborado deve ser viável e exequível, demonstrando que é possível realizar as etapas propostas dentro do prazo e dos recursos disponíveis. É importante apresentar um plano de trabalho sólido, considerando as limitações e desafios que possam surgir”, explicou.

Outra orientação do especialista foi sobre o impacto e relevância social. "É importante mostrar como o projeto pode gerar impacto na sociedade, seja no avanço científico, no desenvolvimento tecnológico, na melhoria de políticas públicas ou em outros aspectos relevantes, pode aumentar seu valor perante os financiadores”, citou.

Para Petit, ter uma equipe qualificada e multidisciplinar é um fator que deve ser valorizado. “Demonstrar a expertise e a experiência dos membros da equipe, bem como seu comprometimento com o projeto, pode contribuir para a competitividade. Elaborar um orçamento detalhado e realista, demonstrando que os recursos solicitados serão bem utilizados e que há uma boa relação custo-benefício, é fundamental. Os financiadores avaliam cuidadosamente a utilização dos recursos disponíveis”, orientou.

Pesquisador e professor doutor da UFT, Cleiton Milagres, avalia como que o papel do docente da universidade é também de pensar na prospecção de recursos para as pesquisas, e que momentos este proporciona mais aprendizagem de como empreender. "O docente precisa também entender como está o universo da pesquisa e como a inovação é um caminho que está atrelado ao fazer pesquisa. Então, acho que nesses ambientes a gente consegue crescer como pesquisador e trazer coisas novas pra aliar um conhecimento que a gente tem na academia para fortalecer os nossos projetos e gerar algo que seja bom e útil pra sociedade”, fala reforçando o papel da Fapto neste processo.