Palmas-TO, 27 de novembro de 2022

WebMail

Fapto apresenta balanço das ações durante encontro com Coordenadores de Projetos e instituições parceiras

Atualizado em: 22/11/2022 17h34

A Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) reuniu na manhã desta terça-feira, 22, no Auditório da Reitoria da Universidade Federal do Tocantins (UFT), representantes e técnicos das instituições parceiras, Ministério Público do Estado do Tocantins e coordenadores de projetos que são apoiados pela Fundação para apresentar as atividades desenvolvidas ao longo dos dois últimos anos.O encontro foi também mais uma oportunidade para que os presentes contribuíssem no planejamento das ações da Fapto para o ano de 2023.

Na oportunidade, o diretor-geral da Fapto, Léo Araújo, agradeceu a parceria e confiança que Universidade Federal do Tocantins (UFT), o Instituto Federal do Tocantins (IFTO), a Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e a Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT) depositam na Fundação. “Estamos reunidos hoje para compartilhar com vocês o trabalho que vem sendo feito pela Fapto no sentido de melhorar cada dia mais a qualidade dos serviços oferecidos pela equipe de colaboradores aos projetos que são apoiados pela instituição. O processo de evolução é contínuo, e já é possível observar as evoluções que foram acontecendo no decorrer dos anos. Nos dois últimos anos, foram bem difíceis para a grande maioria das Fundações do país, devido ao período pandêmico. Já na Fapto, o cenário foi diferente e bastante promissor. Foram os anos que mais tivemos projetos de pesquisa, tecnologia e inovação no Estado”, disse o diretor, apresentando os números registrados nos anos de 2020 e 2021.

Em 18 anos de funcionamento, a Fapto já apoiou 988 projetos, com 190 parceiros, e mais de 345 milhões foram investidos em projetos.  Conforme Araújo, a Fundação segue avançando nos processos de gestão e busca através do feedback dos coordenadores e parceiros uma melhoria contínua em suas atribuições."Além de qualificar ainda mais a nossa equipe, estamos trabalhando para ampliar a nossa atuação no Estado. O próximo passo será a abertura de um escritório em Araguaína e fortalecimento das parcerias públicas e privadas, buscando ampliar os recursos para pesquisa e a abrangência de atuação da instituição", observou. 

Na programação do evento, cada um dos reitores das universidades destacaram a relação com a Fundação de Apoio e também sobre os investimentos para pesquisa, educação e inovação. “A produção científica, o investimento em pesquisa retorna para a sociedade em quase todas as áreas. Desde inovações e descobertas que tornam bens de consumo melhores e mais acessíveis. Investir em inovação e ciência é criar autonomia para o país. Então, quero aproveitar para agradecer a todos os professores que se dedicam à pesquisa, e Fapto que nos ajuda nestes processos, preservando que o professor tenha mais tempo para se dedicar a sua pesquisa, ficando a cargo da Fundação de Apoio à gestão administrativa e financeira dos recursos relativos ao projeto”, lembrou o reitor da UFT, Luiz Eduardo Bovolato.

Os reitores Antônio da Luz do IFTO, Airton Sieben, da UFNT e o representante do reitor da Unitins, professor Daniel Barbal usaram o microfone para falar da parceira com a Fundação e também do êxito nos projetos que as instituições implementaram com o apoio da Fapto.

Os presentes acompanharam a mensagem do presidente do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica - Confies, Fernando Peregrino, que trouxe um olhar para os próximos desafios das Fundações de Apoio no desenvolvimento científico e tecnológico nacional. “É uma honra estar com você hoje. Me sinto bastante satisfeito em participar deste momento, pois a Fapto está entre as Fundações que tem um modelo inovador de sucesso de gestão da pesquisa”, ressaltou o presidente fazendo uma reflexão sobre as práticas de atuação das Fundações de Apoio.

Contribuição do Ministério Público

A promotora de justiça do MPE/TO, Márcia Mirele Stefanello, explicou a atuação e as responsabilidades do órgão, na área de fundações que realizam atividades voltadas para o interesse da sociedade. “Mais do que fiscalizar, o MP tem o dever de cuidar, proteger e orientar essas entidades. O traço marcante das Fundações, além do interesse social, é a ausência de finalidade lucrativa. Suas atividades são orientadas pelos laços de solidariedade e o consenso na busca do bem comum. O MP acompanha a Fapto desde a sua criação, sendo o nosso maior objetivo, acompanhar a aplicação de maneira correta o recurso destinado ao desempenho das atividades de cada projeto”, pontuou a promotora abrindo espaço para perguntas do público.